FRAXEL® - RESURFACING COM LASER CO2 FRACIONADO

 

O objetivo da técnica de resurfacing é substituir a pele envelhecida por uma nova, revitalizada. O laser de CO2 já se comprovou como o tipo de equipamento com os resultados mais efetivos no rejuvenescimento da pele. Porém os tratamentos antigos, dado a sua agressividade, causavam um tempo de recuperação muito prolongado e inconveniente. Atualmente, graças à tecnologia disponível, atingimos resultados impressionantes, assegurando uma recuperação mais suave, o que permite que o paciente retorne muito mais breve às suas atividades normais.

O tratamento pode ser realizado com diferentes graduações em sua intensidade permitindo que se faça um resurfacing mais ou menos intenso, em sessões únicas ou múltiplas dependendo do grau de comprometimento da pele e da conveniência de quem a ele se submete. A regra geral é:  Quanto maior a energia do laser, maiores os danos térmicos à pele e melhores os resultados. 

Como podem ser classificado os lasers fracionados? São classificados em ablativos e não ablativos, dependendo da existência ou não de áreas de necrose nas zonas térmicas. Os lasers fracionados não ablativos induzem a coagulação seletiva e suave dos tecidos, mas preservam em parte a camada mais superficial, a epiderme, deixando-a quase intacta.

Aparelhos usados:

1. Laser CO2 Fracionado Ablativo Smatxide Dot ® (Deka Laser)

2. Laser Fracionado Ablativo Pixel Laser CO2 ® (LBT)

3. Sistema Fracionado Não-Ablativo StarLux 1540 ou Erbium Glass ® (Palomar)

4. Fraxel ® (Laser CO2 Fracionado Não-Ablativo)

Como funcionam? Baseiam-se na emissão de milhares de micro feixes de luz que tem grande afinidade água presente na pele, causando seu aquecimento rápido sua vaporização com a destruição da pele em colunas, as “colunas térmicas”, criando microzonas de lesão, as zonas térmicas entremeadas por colunas de pele intacta que contém células com capacidade de promover a rápida cura, encurtando o tempo de recuperação após o procedimento.

 

 

 A energia que é emitida pelo LASER em colunas, além de agir diretamente sobre a pele envelhecida se propaga lateralmente e leva ao aquecimento das camadas mais profundas da pele levando a um estímulo na produção, remodelação e contração do colágeno, aumento da densidade das fibras elásticas e de elastina, implementando a elasticidade, resistência e firmeza da pele, clareamento da cor com redução significativamente das manchas, diminuição da flacidez, suavização da textura, alisamento da e evidente efeito lifting.

O CO2 Totalmente Ablativo ( método antigo) atinge toda a extensão da pele.  O processo de cicatrização é mais difícil, caso seja aplicado em grandes áreas. Atualmente, é mais usado para pequenas extensões.

O CO2 Fracionado atinge a pele como microfeixes de luz, que podem ser mais ou menos concentrados, dependendo do que se quer tratar e do tempo de recuperação esperado. É realizado em sessões e assim, a cada novo tratamento mais áreas da pele serão atingidas. Estima-se que após a terceira aplicação, a pele do rosto deverá estar tratada em sua totalidade. Dentre suas vantagens estão a velocidade de recuperação da pele e menor desconforto durante o procedimento, que pode ser realizado apenas com o uso de um creme anestésico. É eficiente no tratamento de grandes áreas, como toda a face, pescoço e colo, propiciando uma recuperação tranquila e sem complicações.

Como é o Tratamento?

O paciente não deve estar bronzeado e deve utilizar protetores solares habitualmente. Aproximadamente 90 minutos antes do procedimento, podemos usar um anestésico tópico para assegurar o conforto durante o tratamento. Para as pacientes mais sensíveis um comprimido relaxante pode ser usado uma hora antes do procedimento, desde que este não vá dirigir imediatamente logo após o término da sessão.

Após a aplicação, a pele fica vermelha e há uma sensação de ardência ou queimação.Geralmente são realizados procedimentos de apoio como a utilização de máscara calmante ou exposição a uma lâmpada de fototerapia (LED) que será especialmente programada para devolver ao paciente a sensação de conforto. Os pacientes só deve deixar a clinica após superar a desagradável ardência. São fornecidos os cremes de uso necessário nas primeiras horas, bem como detalhadas instruções por escrito.

Quantos Tratamentos São Necessários?

São preconizadas 3 a 4 sessões com intervalos mínimos de 30 dias. Os resultados aparecem progressivamente a cada aplicação e a pele continua a melhorar até 6 meses após a ultima sessão.

Quais as Recomendações após o Tratamento?  

• Imediatamente após o tratamento, o paciente sente uma sensação que lembra a de queimadura de sol, devido ao processo inflamatório instalado. Este é leve e diminui em até dois ou três dias.

• No dia seguinte à aplicação, a pele assume um tom de bronzeado , que dura de 5 a 7 dias.

• Procedimentos de apoio (realização de máscara calmante ou fototerapia por LED ) podem ser repetidos nos primeiros dias após o procedimento uma vez que estimulam a cicatrização e promovem conforto.

• A partir daí, inicia-se a fase da descamação que se assemelha ao da pele que descasca após ser queimada pelo sol. É importante que as pequenas crostas despreguem-se naturalmente, sem serem retiradas antes do momento certo, o que certamente acarretaria prejuízo e possível complicação. Esta fase persistirá até o décimo dia, aproximadamente.

• Após a descamação se completar, a pele pode permanecer avermelhada de 2 a 4 semanas.

• As mulheres podem aplicar maquiagem e o homem pode fazer a barba, desde o primeiro dia após o tratamento.

• Não se pode limpar ou esfoliar a pele vigorosamente a pele para acelerar a troca da crosta pela nova epiderme.

• É recomendada apenas a aplicação de hidratante suave, sabonete neutro e bloqueador solar nas primeiras duas semanas.

• A exposição ao sol deve ser realizada com extremo cuidado no dia a dia e é necessário o uso constante de protetor solar, pois esta nova pele recuperada e ainda em cicatrização, está mais sensível e passível de manchar com maior facilidade.

• Reiniciar o uso dos cremes de rotina a critério do seu Dermatologista.

• O paciente deve se abster de sol por 2 a 3 meses após a aplicação. Nunca deve esquecer o uso do filtro solar.

• Os resultados surgem gradualmente, à medida que o colágeno se reorganiza, sendo esperadas melhoras até o sexto mes após a última sessão.

• Manter o uso contínuo de filtro solar de amplo espectro.