MENTE E CORPO SÃOS

Todos nós sabemos da importância de estar bem com o corpo, dos exercícios e da alimentação para ter aquela agradável sensação de bem-estar. Da mesma maneira, sabemos que é importante estar bem emocionalmente para que a saúde física também se complete. Sentimos que quando estamos desmotivados ou tristes fica mais fácil adoecer e fica mais vulnerável. Por outro lado, quando estamos apaixonados (por outra pessoa, por um ideal ou pelo trabalho) parece que estamos naturalmente protegidos de qualquer vírus e qualquer bactéria. Esquecemos-nos de comer e dormimos pouco para que a dedicação ao nosso alvo seja maior e nem por isso adoecemos. Incrível.

Tem gente que é fissurada em exercícios físicos. Às vezes chega à exaustão ou até se expõe a lesões de tanto treinar. Outros são rigorosos com a alimentação e fazem de tudo para comer na hora certa (e os alimentos certos). Há também quem se preocupe em ter momentos de lazer, ócio e adote a postura “tô nem aí” para não estressar nunca. É claro que todas essas atitudes contribuem para uma vida melhor. Mas combiná-las é o ideal para manter mente e corpo sob controle e viver com mais satisfação. Todos temos um instinto de sobrevivência que muitas vezes nos fornece o que se chama de “autocura”. Quem consegue combinar diferentes atitudes saudáveis tem mais autonomia para evitar ou acabar com doenças. A saúde e a felicidade dependem das escolhas que fazemos. Por isso, mais do que nunca, é preciso bom senso e preocupação com o futuro para optar por uma vida mais saudável.

EXERCÍCIO FÍSICO

Pode-se dizer que existem três princípios básicos para quem deseja fazer exercícios físicos e tirar proveito deles. O primeiro é que a atividade escolhida deve oferecer prazer. Ideal é escolher aquelas em que podemos convidar mais pessoas quando estamos desanimados. Outro aspecto importante é a assiduidade. Para haver efeitos é preciso praticar o exercício de forma regular, faça chuva, faça sol. Caso contrário, os resultados não aparecem e a desistência virá em pouco tempo. Por último, é fundamental facilitar a prática, escolhendo atividades baratas, próximas de casa ou do trabalho e que não exijam grandes investimentos. Caminhadas, corridas ou natação no clube do qual já é sócio são algumas sugestões. A partir disso é possível adquirir o hábito e passar para modalidades mais pesadas.

BOA ALIMENTAÇÃO

Outro ingrediente de uma vida mais saudável é a boa alimentação. Nos últimos anos, há mais opções de alimentos, mas isso não significa que as pessoas estão sabendo fazer boas escolhas. Pode não fazer muito sentido, porém, analisando os hábitos alimentares atuais, presenciamos uma enorme distância entre a alimentação e a obtenção dos nutrientes necessários para um correto funcionamento do nosso organismo A oferta de alimentos está cada vez maior, porém, cada vez menos nutritiva e com maior participação de gordura trans e produtos químicos. Os alimentos “in natura”, embora ainda disponíveis, competem em desigualdade com os alimentos industrializados.

EQUILIBRAR AS EMOÇÕES É FUNDAMENTAL

Para fechar o tripé da vida com qualidade, é preciso equilibrar as emoções, já que elas interferem no funcionamento de todo o corpo. O essencial é saber controlar as emoções em caso de conflitos. Para situações emergenciais uma dica. Inspire, por meio de duas grandes respirações, lentas e profundas. Em seguida, comece a expirar o estresse antes de reagir. Os conflitos são inevitáveis, porém, quando os “envenenamos” tudo fica muito pior. O equilíbrio emocional pode ocorrer com a adoção de uma vida com menos preocupações. Não levar tudo tão a sério, ou “a ferro e fogo”, como diz o ditado, é um dos caminhos para fugir do estresse e manter a serenidade mesmo diante de grandes problemas.

Para aplacar a ansiedade, é importante valorizar mais o momento presente, sem remoer mágoas do passado ou especular demais o futuro. Quem focaliza os acontecimentos do “aqui e agora” tem mais chances de lidar com os problemas reais. Por último, a dica é amar. Quanto mais demonstramos esse sentimento, melhor nos sentimos. O amor é uma necessidade biológica que tem efeitos consideráveis sobre o corpo e as emoções. É considerado um dos mais eficazes antídotos contra o estresse.